Posts Tagged 'Roma'

Se não deu certo…

Normalmente criar expectativas faz parte do meu dia a dia. Mas segunda-feira não. Acordei suficientemente tranquila, por mais que estivesse esperando uma resposta. Durante a aula de Ilustração Digital entro no meu e-mail, na falida tentativa de enviar minha ilustração a mim mesma, afinal o pen drive tinha sido esquecido em casa. Neste momento lembrei da resposta que eu estava aguardando, e que não tinha chegado ainda… “Você tem (zero) novas mensagens”. Expectativas também zero, mas frio na barriga mil! Sem saber o que esperar, só muito ansiosa. Chegando em casa faço alguns telefonemas e começo a correria. Em pouco tempo já estava dentro do ônibus, e chegando na Terra da Garoa. E no meio da imensidão de prédios e variados biotipos, eu me encontrava sozinha, no meio do metrô. Coincidência ou não, a semelhança com a Metropolitana Romana me ajudou e proporcionou a possibilidade de vagar tranquilamente entre linhas e vagões. Tranquilidade total exceto quanto as más indicações que dificultaram a compra dos bilhetes. Cinco minutos de confusão mental e 25 de semelhanças e saudade romana.

Enquanto esperava durante uma das baldeações tive a “sorte” de esperar exatamente na frente da única porta que não estava abrindo. Fiquei irritada devido ao “tempo contado”. O primeiro estágio de calmaria veio quando me lembrei que o trem seguinte chegaria rápido, diferente de como é na Itália. O segundo momento veio quando percebi que a mulher parada atrás de mim estava rindo. A primeira frase que me veio em mente foi “POR QUE ela está rindo…”, até que eu me virei e cheia de simpatia ela começou a puxar papo: “haha, a mulher ali de trás falou ‘por que essa m*rda não abre?’…”. Dei uma risadinha e respondi: “é, pois é”. Não compreendi muito bem no primeiro momento qual era o intuito daquele comentário, até ela completar: “Hm, se não abriu é porque não era pra abrir! É só esperar o próximo, não é não? Significa que esse não era pra ser o nosso…”. Só consegui responder um “é mesmo” e caí no silêncio. Me senti arrepiada.

Foi como se no meio de toda aquela imensidão paulistana, de todas aquelas vozes cheias de histórias e emoções, eu estivesse sozinha. Em um vazio intenso e silencioso, cheio de pensamentos.

Voltei à realidade assim que ouvi que o próximo trem se aproximava. Fiquei com aquilo guardado na cabeça.

Beijos mil,

Valentina Rampini

Anúncios

Cultura mesoamericana pré-colombiana

Venezia

Hoje cheguei a conclusao que eu poderia muito bem fazer parte da civilizaçao Maia. Outro dia, durante a aula de latim – que eu nao faço nada – construì uma tabelinha, onde os espaços iam numerados de 2010 a 2015 (embora os ùltimos dois anos nao tenham sido utilizados, me exaltei), e entre parênteses, respectivamente a cada ano, a minha idade. Cada espacinho de um ano vinha dividido em dois – respectivos aos semestres – que continham os planejamentos para o meu futuro. Como por exemplo “curso de especializaçao”, “trabalho”, “faculdade + trabalho”, “Italia”… Hmm. Achei engraçado. Minha mania de planejamento as vezes se torna assustadora. Quem me conhece sabe, planejo tudo! Imagino dialogos, saìdas, encontros, passeios. Bom ou ruìm, eu nao sei. Me agrada. Me sinto sempre mais segura. Me conheço bem, por isso dificilmente erro, nao mudo de idéia (rarìssimo)… E’ certo também que nem tudo depende sò de mim, mas quanto às pessoas que estao ao meu redor, as conheço. Falo muito muito, converso muito, puxo papo, etc e tal. Observo, escuto, ajudo.  No fim acabo conhecendo “bem” as pessoas, e sabendo suficientemente do que elas sao capazes. E’, sou meio estranha… Ci piace!  

Villa Borghese

Aqui nao é frio o suficiente

But you can only live life in one place at a time. And your own life while it’s happening to you never has any atmosphere until it’s a memory. (A. Warhol)

Alegria de imigrante dura pouco. Eu achei que a primavera estava chegando, e que eu finalmente poderia viver feliz. Na primavera, com o sol, as flores… E’. Nao. O frio voltou,  e jà que é pra viver no frio, vamos para o frio de verdade! Amanha vou para Praga (-8°C), hoje enquanto fazia minha mala cacei as roupas  mais quentes possiveis que eu poderia encontrar no meu armario. Algo me diz que eu ainda vou passar frio. E’ uma viagem da escola, vamos ficar 5 dias… Dizem que é sempre muito legal, e que ajuda a unir a classe. ASSIM ESPERAMOS.

StreetStyle

Eu falo que as orientais sao as melhores! Hahahaha..

Hoje nao fui pra escola (eba!), estava meio atrasada, e entrar na segunda aula aqui na Italia é um saco, sò pode cinco vezes, em 4 meses! Ah é né, até parece, no Brasil eu chegava pelo menos uma vez por semana… Hahaha, e como em um mes eu ja acabei com quatro dos meus cinco possiveis atrasos, preferi ficar em casa.  E segunda-feira é um dia meio nulo na escola: ingles, filosofia, historia (que eu nao entendo nada), musica e literatura italiana (que eu nao entendo nada 2). Entao preferi ficar aqui, repousar do final de semana (?).

Ah! Clicando as fotos aumentam! Da pra ver os detalhes de pertinho…!

Hahaha, esqueci de contar um episòdio do meu final de semana. Sabado nao fui pra escola, pra ir pra Tagliacozzo, ia pegar o trem as 11:58, sò que acordei meio tarde, umas 10:20, tinha que tomar banho, secar meu cabelo, fazer minha mala, escolher meu vestido, ir pegar o metro atééé a estaçao, comprar o bilhete… Bom, conclusao, saì correndo de casa! Por sorte meu irmao se ofereceu pra me levar até a estaçao de metro aqui perto de moto, ele ficou me apressando na hora de sair de casa, mas ok, hehe (ok mais ou menos, esperem). Cheguei là, entrei no metro, acho que umas 10 paradas, depois de um tempo faltando uns 8 minutos pro trem sair, cheguei na parada da estaçao. Antes de sair do metro resolvi ir pegando minha carteira pra adiantar, e sò entrar na fila correndo pra comprar o bilhete. Nao a encontrei! E onde estava minha carteira? Em cima da minha cama, na minha casa. E eu? Na estaçao, atrasada, muito longe da minha casa.

Resolvi me acalmar, entrei na estaçao, sentei, revirei minha mochila. De fato, nao estava là né. Comecei a pensar, lembrei que tinha pego minha carteira, mas nao tinha colocado na mochila, o Lorenzo me apressou tanto… Antes de sair de casa ele perguntou: pegou tudo? dinheiro, cartao do metro.. ? Sim, sim, peguei! E’, peguei. … Liguei pro meu host-father, ele falou que estava de fato na minha cama, pensei, Fodeu! Vou ter que pegar o trem sòòò as 14:30. Mas muito ninja bolei um plano com meu pai, ele comprou o bilhete pela internet e me deu o còdigo, dai fui voaando até o trem, procurei o homem que passa controlando os bilhetes, falei que esqueci minha carteira (hehe, ele me olhou com uma cara de tipo “imbecil!”) e perguntei se podia ter sò o còdigo. Ele falou que dessa vez tudo bem, que eu tinha avisado ele antes. E fim, deu tudo certo. Mas realmente eu sou muito idiota. E pra voltar o Paulo teve que me fazer um emprestimo… Hahahaha!

A melhor parte foi enquanto eu estava no trem, entediada, e passamos por uma placa “Tivoli”. Aì começo a pensar… Mas pra ir pra Tagliacozzo passa por Tivoli??? Por sorte sim, mas realmente poderia nao passar, porque eu entrei correeendo no trem, e nem conferi se era aquele mesmo! (Gente, é sempre aquele binàrio, nao poderia estar errado… Hehehehe)

Anni!

Gente, agora tenho uma amiguinha finlandesa! To muito feliz! Porque ela é muito legal, e nòs estudamos na mesma escola! Ah, o frio està acabando, estou feliz com isso também, jà estava cansada.. Fotos!

Amanha vou pra Tagliacozzo de novo! E’ aniversario de 18 anos do Paulo!

To com pressa, depois escrevo melhor!

StreetStyle

(clicando as fotos aumentam!)

Hmm,

Semana passada chegaram novos intercambistas aqui em Roma, uma finlandesa fofissima que estuda na minha escola e um Argentino que eu ainda nao conheci… Hoje fomos dar uma volta pelo centro, algumas fotos:

Minha amiguinha finlandesa, Anni!

(o vendo favoreceu minha franja)