Posts Tagged 'Moda'

Brasileiros em NY

Ufa! Depois de muitas horas de dedicação, acabei os dois textos que tenho que entregar amanhã na aula de Jornalismo de Moda! Aí vai o primeiro, falando sobre os estilistas brasileiros que desfilaram em NY!

Um só país, e diversas maneiras de representá-lo, principalmente quando se trata de moda. É o que os estilistas Carlos Miele e Alexandre Herchcovitch (no comando de duas marcas) nos provaram quando desfilaram no Mercedes-Benz Fashion Week, em Nova York, de 9 a 16 de setembro.

O empenho era o mesmo, criar uma coleção ao estilo Brazil to Export, mas as inspirações eram diversas. Para a Rosa Chá, Herchcovitch buscou inspiração nas roupas de banho do século passado. Usou linhas que estruturaram e marcaram o corpo da mulher de maneira sexy e discreta, e introduziu harmônicos babados e transparências que passaram longe da vulgaridade. Os tecidos foram dos lisos e sóbrios aos florais, que perderam sua leveza devido ao preto que os contornava.

Também adepto a transparências e ajustes, Carlos Miele se inspirou na natureza (significância brasileira). Com uma cartela de cores suaves, fez uso de tecidos e texturas diferentes, alguns até com estampas de insetos, teias de aranha ou florais. Preocupou-se em oferecer com cautela o despojamento e a sensualidade brasileira às fãs internacionais.

Já para a HERCHCOVITCH;ALEXANDRE, Herchcovitch procurou inspirações em outro hemisfério. Buscando ícones da história da arte estadunidense colocou em seu caderninho de referências artistas abstracionistas como Mark Rothko e Barnett Newman. E por que não falar de Jackson Pollock! Ou então do futurismo New Age… Com ampla cartela de cores – desde opacas a brilhantes, sóbrias a vibrantes – foi criada uma incrível coleção, com volumes localizados e sem qualquer tipo de marcação ou ajuste. As inspirações foram diversas, nenhuma verde e amarela, mas a coleção foi exclusivamente brasileira!  

 

Looks das coleções:

Rosa Chá

 

 

Carlos Miele

 

 

Herchcovitch;Alexandre

 

 

Novità!

Se eu não me engano, no post passado comentei sobre cursos de extensão, que eu andei procurando e tal… Ontem comecei um curso de extensão em Jornalismo de Moda no IED! Dura dois meses, e é toda segunda-feira! É bem complicado pra ir, e depois voltar, porque o curso é das 21 às 23 hs, chego em Sorocaba super tarde e no dia seguinte tenho aula, mas acho muuito que vale o esforço! Eu adorei, as primeiras aulas serão sobre a história da imprensa da moda, e sobre crítica de moda, o resto do programa não f0i passado porque as aulas serão dadas por uma outra professora, Silvana Holsmeister (!!!), “editora de Projetos Especiais da Vogue. Foi Editora-chefe da L’Officiel e editora de Moda e Cultura do jornal A Gazeta”. Me parece bem interessante! Hehe.

Quanto à faculdade, continua legal! Bem legal. Estou aprendendo a fazer umas coisas legais no Adobe Illustrator, e já temos que bolar um projeto com o tema “assento”, isto é, banco, banqueta, cadeira, sofá… Sexta-feira vamos começar o desenho e a maquete, estou com algumas idéias legais, preciso coloca-las no papel pra decidir qual cadeira vai ficar mais interessante!

Este final de semana fui para Americana, em um acampamento da AFS, o último ORCA (Orientação Regional de Candidatos), foi muito legal, como todos os acampamentos deles, e é triste saber que foi o último, mas quero muito me tornar voluntária, para participar de acampamentos e etc, e não deixar nuuunca de sentir essa sensação deliciosa de “intercâmbio”.

Assim que eu puder, conto mais coisas sobre design! Estou acabando um livro muito legal chamado “Elementos de Semiótica aplicados ao Design”, da Lucy Niemeyer, bem legal.

Beijos mil,

Valentina Rampini

Escolhendo uma faculdade…

Se não me engano outro dia comentei que escreveria e contaria mais sobre a minha escolha: Design de Produtos! Cumprindo a promessa… Acho que é muito claro e visível meu grande interesse por arte, moda, fotografia, design, digamos que eu gosto muito da parte de criatividade! E fazer um curso “artístico” não é tão simples quanto gostaríamos. A valorização ainda é muito pequena, e embora seja importante – se não essencial! – fazermos aquilo que realmente gostamos, é importante também pensar no futuro!

Como falei, é importante fazer aquilo que nos interessa, e foi o que eu decidi, mas procurei algo que me permitisse trabalhar em diversos campos, logo me dando mais possibilidades de trabalho. Neste momento, se me dissessem que o mercado de moda está a mil maravilhas, que o Brasil se tornou um país que super valoriza profissões artísticas, e que eu poderia fechar os olhos e ir com fé no caminho que eu quisesse acho que eu escolheria Moda. Como nada disso é real, resolvi unir o útil ao agradável. Em italiano il piacere al lavoro

Design de Produtos (também conhecido como Desenho Industrial) é um curso realmente muito legal, mais legal do que eu imaginava! Trabalha muito com a parte de criatividade, ensina a montar projetos de produtos, trabalhamos com a parte gráfica também, e – uma das coisas que mais me interessou – nos ensina teorias que demonstram como despertar o interesse de uma pessoa, mesmo que no subconsciente!

Moda (roupas), acessórios e objetos de decoração (principalmente) não deixam de ser produtos! A nossa formação não acaba no último dia de faculdade, existem cursos de extensão, pós-gradução, mestrado, doutorado… Uma infinidade de coisas mesmo! Cursos que não acabam mais, sobre o que quisermos! E foi isso que eu montei na minha cabeça, com todo o meu espírito planejador e organizado decidi que Design seria uma boa opção, me ensinaria muitas coisas, e me daria muitas opções de trabalho – incluindo moda. E acredito que eu tenha acertado, pelos planejamentos de aulas que eu li… E tenho procurado cursos de extensão possíveis de se realizar, mesmo que durante a faculdade, e vou atrás disso tudo! Meu curso é tecnológico (e não bacharelado) portanto são apenas dois anos, e vale como curso superior, se eu quiser tenho a opção de extende-lo e transforma-lo em um bacharelado (mas não pretendo). Encontrei também cursos de um ano de moda que podem me dar uma boa base para seguir em frente…

Bom, ainda é cedo, porém analisando várias opções consigo ir montando a estrada que quero seguir! E é estranho… Me sinto muito nova, e já pensando em coisas tão sérias. Mas sei que essa seriedade não faz mal a ninguém, e como meu pai sempre disse, o importante é se diferenciar! Mesmo que isso custe um pouco de esforço…

Beijos mil,

Valentina Rampini

Costurando…

Momento um tanto quanto egocentrico, mas é pra mostrar a última saia que eu fiz! E usei esse final de semana, no aniversário de um grande amigo! 

EEEE! Hahaha, parabéns Arge!

beijos mil,

Valentina Rampini

Para uma bonitinha de 3 anos..

Minha mãe tem uma grande amiga super legal, e super parecida comigo (leoninas!!), fazemos aniversário uma depois da outra, e eu gosto muito dela… Há três anos ela teve uma filha super fofa chamada Maria Clara, que outro dia veio aqui em casa me ver pós intercâmbio, e resolvi fazer uma surpresinha.

Hehe, faltava passar...

Então fiz uma saia… Foi rápido e ficou super bonitinha!!

Fiquei sabendo que ela gostou!!

Beijos mil,

Valentina Rampini

Regali!

Inevitavelmente a cada aniversário que se aproxima criamos esperancinhas sobre os presentes que ganharemos, damos indiretas, cruzamos os dedos! Um pouco antes de ir para a Itália comecei a me interessar mais ainda por livros, mas mais especificamente artísticos. Design, moda, fotografia… E eles foram o meu grande problema na hora de fazer as malas e voltar para o Brasil! Estava com livros pesadíssimos! E irresistíveis… Lá os livros são muito mais baratos, e livros bons hein! Bons exemplares Taschen por apenas 10 euros! Não aguentei né… E uns dias antes do meu aniversário enquanto dava uma olhada em uma livraria com a minha mãe comentei que ficaria feliz de ganhar vários livros de aniversário.

Esta aí um dos fatores que fez desse o melhor aniversário da minha vida, me senti realmente realizada em relação a presentes!!! Ganhei livros muito legais, e alguns exemplares da revista Zupi (que pra quem gosta de design é óotima). “A Arte de Editar Revistas”, “Fashion Design”, “Amor nos tempos do cólera” e “Days with my father” (que eu tinha comentado aqui, foi uma surpresa maravilhosa!) entraram para a minha coleção! Sem falar no abajur dos Beatles, no sutiã (tradição de amiga!!), no moleton (que ganhei de uma amiga lá na Itália), nas bolsas, no bandage dress (!!!), nos brincos e colar de coração liindos, e nesses bichinhos de pelúcia deliciosos, que estavam na minha lista de desejos, afinal minha irmã italiana era cheia deles, fiquei com inveja!

Ééé, fiquei muito feliz, adorei cada um! Livros são sempre uma boa opção hein, fikdik! Hahaha. Obrigada a todos!

Beijos mil!

Valentina Rampini

StreetStyle

Eu falo que as orientais sao as melhores! Hahahaha..

Hoje nao fui pra escola (eba!), estava meio atrasada, e entrar na segunda aula aqui na Italia é um saco, sò pode cinco vezes, em 4 meses! Ah é né, até parece, no Brasil eu chegava pelo menos uma vez por semana… Hahaha, e como em um mes eu ja acabei com quatro dos meus cinco possiveis atrasos, preferi ficar em casa.  E segunda-feira é um dia meio nulo na escola: ingles, filosofia, historia (que eu nao entendo nada), musica e literatura italiana (que eu nao entendo nada 2). Entao preferi ficar aqui, repousar do final de semana (?).

Ah! Clicando as fotos aumentam! Da pra ver os detalhes de pertinho…!

Hahaha, esqueci de contar um episòdio do meu final de semana. Sabado nao fui pra escola, pra ir pra Tagliacozzo, ia pegar o trem as 11:58, sò que acordei meio tarde, umas 10:20, tinha que tomar banho, secar meu cabelo, fazer minha mala, escolher meu vestido, ir pegar o metro atééé a estaçao, comprar o bilhete… Bom, conclusao, saì correndo de casa! Por sorte meu irmao se ofereceu pra me levar até a estaçao de metro aqui perto de moto, ele ficou me apressando na hora de sair de casa, mas ok, hehe (ok mais ou menos, esperem). Cheguei là, entrei no metro, acho que umas 10 paradas, depois de um tempo faltando uns 8 minutos pro trem sair, cheguei na parada da estaçao. Antes de sair do metro resolvi ir pegando minha carteira pra adiantar, e sò entrar na fila correndo pra comprar o bilhete. Nao a encontrei! E onde estava minha carteira? Em cima da minha cama, na minha casa. E eu? Na estaçao, atrasada, muito longe da minha casa.

Resolvi me acalmar, entrei na estaçao, sentei, revirei minha mochila. De fato, nao estava là né. Comecei a pensar, lembrei que tinha pego minha carteira, mas nao tinha colocado na mochila, o Lorenzo me apressou tanto… Antes de sair de casa ele perguntou: pegou tudo? dinheiro, cartao do metro.. ? Sim, sim, peguei! E’, peguei. … Liguei pro meu host-father, ele falou que estava de fato na minha cama, pensei, Fodeu! Vou ter que pegar o trem sòòò as 14:30. Mas muito ninja bolei um plano com meu pai, ele comprou o bilhete pela internet e me deu o còdigo, dai fui voaando até o trem, procurei o homem que passa controlando os bilhetes, falei que esqueci minha carteira (hehe, ele me olhou com uma cara de tipo “imbecil!”) e perguntei se podia ter sò o còdigo. Ele falou que dessa vez tudo bem, que eu tinha avisado ele antes. E fim, deu tudo certo. Mas realmente eu sou muito idiota. E pra voltar o Paulo teve que me fazer um emprestimo… Hahahaha!

A melhor parte foi enquanto eu estava no trem, entediada, e passamos por uma placa “Tivoli”. Aì começo a pensar… Mas pra ir pra Tagliacozzo passa por Tivoli??? Por sorte sim, mas realmente poderia nao passar, porque eu entrei correeendo no trem, e nem conferi se era aquele mesmo! (Gente, é sempre aquele binàrio, nao poderia estar errado… Hehehehe)