Archive for the 'Venezia' Category

Bella Venezia…

Considerando que tenho, mentalmente, muitos posts arquivados, e atrasados para serem postados, vou começar pela viagem a Venezia. Do dia 20 ao 28 de junho estive na casa de uma outra familia hospitante. Se chama “settimana di scambio”, e é organizado pela AFS. E’ muito muito legal, porque temos a oportunidade de conhecer uma outra cidade, uma outra familia, outros costumes, porque aqui na Italia é assim, cada regiao é muuito diferente.

piazza san marco

um dos alemaes

Me diverti muito! Là comigo tinham muitos outros meninos e meninas, de mil nacionalidades… Dos Estados Unidos, alemaes, turco, islandesa, canadense, russa, mexicana, neozelandes, argentina, costa riquenho, finlandeses, e acho que sò. Eramos mais ou menos 15, e mesmo que tenham sido apenas 8 dias, foram muito intensos. E’ engraçado, cada encontro da AFS é cheeio de confidencia, conseguimos fazer amizade e criar um carinho delicioso em poucas horas. Estamos todos na mesma situaçao, cheios de saudades, e morrendo de vontade de aproveitar!

Todos os dias tinhamos rotinas cheias! Nos encontravamos sempre umas 9 da manha, e começavamos as longas caminhas, igrejas, ilhas, parques… Venezia, Piazza San Marco. Gente, que cidade linda! Fiquei impressionada. O primeiro dia foi meio pesante porque choveu, eu estava com os pés ensopados, e là as ruas sao super estreitas, e era super ruìm passar com o guarda-chuva. Mas no segundo dia abriu um sol lindo, e nao paramos de aproveitar.

mexicana, turco, argentina, braseira, neozelandes

  

Um dia fizemos um passeio por umas 3 ou 4 ilhas ali por perto, maravilhosas. Eu ameeei. Outros dois dias fomos para Padova e Verona. Em Padova tinha a igreja de Santo Antonio, que embora nao tivesse nada de “super diferente”, me deixou impressionada, fiquei realmente comovida. Santo Antonio é conhecido como o santo “padroeiro dos pobres”, e para quem as pessoas pedem ajuda por crianças e adultos doentes, e etc. Dentro da igreja tem o sarcofago di Sant’Antonio que é cheio de oraçoes, e fotos, e nao sao sò em italiano, sao em diversas linguas, é uma coisa muito bonita, muitas pessoas vem de outros paises sò para levar oraçoes a esse santo.

Chiesa di Sant'Antonio

Jà em Verona visitamos mais coisas. A cidade é muito conhecida pela Casa da Julieta, onde tem uma estatua dela (e se voce colocar a mao no peito dela da sorte!) e a varanda! Tem um mini museu, com pinturas dela e do Romeu, vestidos antigos, cama… E a parte mais legal é na entrada da casa, que tem duas paredes grandonas cheias de milhetinhos com nome de casaisinhos! Muito fofo!

Bom, os dias eram sempre corridos, e de noite, mesmo estando muito cansada eu sempre saia com os meus amigos. Toodos os dias. Virei muito amiga do neozelandes e do turco, eles eram muito engraçados, e eu me diverti demais. Acabei ficando pouco tempo com a familia… Infelizmente, porque eles eram muito legais!! O pai nasceu no Brasil, e eles ja tinham ido pra là e tal, a filha mais velha fez faculdade la por 6 meses, e a mais nova até tinha passaporte brasileiro. Eles sabiam mil coisas, foi uma delicia “morar” là com eles. Jà avisei que em junho volto là visitar!

irma hospedeira por uma semana

Anúncios

Cultura mesoamericana pré-colombiana

Venezia

Hoje cheguei a conclusao que eu poderia muito bem fazer parte da civilizaçao Maia. Outro dia, durante a aula de latim – que eu nao faço nada – construì uma tabelinha, onde os espaços iam numerados de 2010 a 2015 (embora os ùltimos dois anos nao tenham sido utilizados, me exaltei), e entre parênteses, respectivamente a cada ano, a minha idade. Cada espacinho de um ano vinha dividido em dois – respectivos aos semestres – que continham os planejamentos para o meu futuro. Como por exemplo “curso de especializaçao”, “trabalho”, “faculdade + trabalho”, “Italia”… Hmm. Achei engraçado. Minha mania de planejamento as vezes se torna assustadora. Quem me conhece sabe, planejo tudo! Imagino dialogos, saìdas, encontros, passeios. Bom ou ruìm, eu nao sei. Me agrada. Me sinto sempre mais segura. Me conheço bem, por isso dificilmente erro, nao mudo de idéia (rarìssimo)… E’ certo também que nem tudo depende sò de mim, mas quanto às pessoas que estao ao meu redor, as conheço. Falo muito muito, converso muito, puxo papo, etc e tal. Observo, escuto, ajudo.  No fim acabo conhecendo “bem” as pessoas, e sabendo suficientemente do que elas sao capazes. E’, sou meio estranha… Ci piace!  

Villa Borghese