Archive for the 'The Beatles' Category

Regali!

Inevitavelmente a cada aniversário que se aproxima criamos esperancinhas sobre os presentes que ganharemos, damos indiretas, cruzamos os dedos! Um pouco antes de ir para a Itália comecei a me interessar mais ainda por livros, mas mais especificamente artísticos. Design, moda, fotografia… E eles foram o meu grande problema na hora de fazer as malas e voltar para o Brasil! Estava com livros pesadíssimos! E irresistíveis… Lá os livros são muito mais baratos, e livros bons hein! Bons exemplares Taschen por apenas 10 euros! Não aguentei né… E uns dias antes do meu aniversário enquanto dava uma olhada em uma livraria com a minha mãe comentei que ficaria feliz de ganhar vários livros de aniversário.

Esta aí um dos fatores que fez desse o melhor aniversário da minha vida, me senti realmente realizada em relação a presentes!!! Ganhei livros muito legais, e alguns exemplares da revista Zupi (que pra quem gosta de design é óotima). “A Arte de Editar Revistas”, “Fashion Design”, “Amor nos tempos do cólera” e “Days with my father” (que eu tinha comentado aqui, foi uma surpresa maravilhosa!) entraram para a minha coleção! Sem falar no abajur dos Beatles, no sutiã (tradição de amiga!!), no moleton (que ganhei de uma amiga lá na Itália), nas bolsas, no bandage dress (!!!), nos brincos e colar de coração liindos, e nesses bichinhos de pelúcia deliciosos, que estavam na minha lista de desejos, afinal minha irmã italiana era cheia deles, fiquei com inveja!

Ééé, fiquei muito feliz, adorei cada um! Livros são sempre uma boa opção hein, fikdik! Hahaha. Obrigada a todos!

Beijos mil!

Valentina Rampini

And so it’s true, pride comes before a fall

O senso-comum diz que a melhor resoluçao para os problemas é uma boa conversa. A conversa é a causa e a soluçao de muitos problemas. Conversou, resolveu. Interpretaçao errada, se deu mal. Falta de comunicaçao, intonaçao errada na leitura de um e-mail, uma frase mal interpretada, sao o suficiente.

Acho que é o conselho mais comum. “Voces tem que conversar!”. Confesso que eu mesma uso essa frase, com frequencia, como uma consumidora satisfeita. De qualquer forma, concordo com isso! Mas o que uma pessoa – para nao dizer incapaz – com dificuldades de conversar pode fazer? Enquanto voce està esperando um conselho pràtico e fàcil, vem alguém pra te dizer: jà tentou conversar? Grr. Nao, nao tentei, e nao, nao é tao fàcil quanto dizer “conveeerse!”. Sabe aqueles famosos bloqueios dentro de nòs? E’ nesse quesito que o meu aparece. E tentando ultrapassa-lo posso me tornar uma perfeita gaga, uma chorona, ou uma pessoa muito irritada.  Pela falta de equilibrio, prefiro ficar na minha. Aceitar as coisas como estao, como sao, viver na dùvida e na imaginaçao…

Baby, it’s you

eu, e alessia, num momento de làgrimas, de tanto rir

 Eu tenho uma incrìvel habilidade de criar enormes històrias em poucos segundos dentro da minha cabeça. Sem esforço! Imagino como tudo vai ser, ou tudo o que aconteceu, e mudo meu humor  devido aos fatos que eu criei. Parem de me dar evidencias! Porque parar de imaginar eu nao consigo…

Acho que a pior parte de passar trinta + trinta minutos dentro de um onibus por dia é que nao tem o que fazer.  Além de pensar.

Quinta-feira chegou meu outro irmao daqui, ele estava na Argentina, ficou seis meses là, ele tem minha idade e foi super simpatico comigo,  viramos amiguinhos e tal,  ele até foi me buscar hoje na escola de moto (oba, 30 mintuos a menos de imaginaçao!). Esse final de semana também està aqui o meu outro irmao, mais velho,  porque ele esta morando em Milao fazendo faculdade, dai sò volta pra cà uma vez por mes, mais ou menos… Essa semana foi horrìvel, fiquei muito muito cansada, tivemos 8 provas em 5 dias, sem contar interrogaçoes e liçoes de casa. Porque EU tenho que fazer tudo isso também? Ah, essa semana recebi uma notìcia legal, agora em fevereiro chega uma menina da Finlandia na minha escola, por seis meses. E’ sempre mais fàcil fazer amizade com intercambista né!

Jà faz quase cinco meses que eu estou aqui, e isso é bem tenso! O tempo està simplismente voando, mas eu nao quero que passe ràpido assim! Nao quero voltar pro Brasil, aqui é tao legal, a cidade é tao bonita… E’ legal passar perto do Coliseu todos os dias voltando da escola,  passar pela Piazza Venezia… Isso tudo é muito surreal pra mim. Depois do natal nao aconteceu nada de especial,  minhas férias acabaram dia 7, e depois sò algumas correrias com a escola! Ah, fui no Museu do Vaticano, é muito muito bonito, a Capela Sistina também! Muito!

Ah, durante esses dias fizemos Cena di Classe (jantar da classe) na casa do Martino,  foi bem divertido! Fotos:

eu e sara, em um momento meio estranho

Dami, Berto e Forna

Dami, Berto e Forna

 

Eu, meu bolo - que fez maior sucesso hein - e o bong do Berto

Beatles for Sale

No momento estou ouvindo o álbum Beatles for Sale, que por sinal não é dos meus favoritos.. Aliás, um dos que eu menos gosto, mas está aqui no meio da pasta “Beatles”, então tudo bem. No momento toca: Honey Don’t – “Well, I love you, baby, and you ought to know I like the way that you wear your clothes. Everything about you is so doggone sweet. You got that sand all over your feet…”.

Ontem fui em um sebo. Contente em achar um disco do John Lennon baratíssimo, no meio de apenas uma solitária – não tanto, mas as outras continham o mesmo conteúdo – caixa na entrada da loja, resolvi dar uma olhada no resto da loja… Foi então que me deparei com uma infinidade de discos. Deus! Foi aí que eu fiquei maluca em meio a tantas opções, e encontrei o fantástico álbum duplo, “The Beatles – 1967 – 1970”, e claro, levei na hora. Ao chegar em casa, a primeira coisa que fiz foi ouvi-lo bem alto, e lógico, adorei, como já era previsto. Mais ainda do que já adoro ao ouvi-lo no meu iPod… O som da vitrola é nostálgico, e dá outro ar a música.

Ouvir o disco do John Lennon então, foi melhor ainda. Músicas que eu ouvi minha infância toda, e nem me lembrava. Ao começar a ouvir, fui reconhecendo uma a uma… Minha little raiva pelo disco solo do Lennon passou. Até esqueci da existência da Yoko Ono.

Enrolei tanto ao escrever esse post que já estou no álbum A Hard day’s Night...

It’s been a hard day…

“A Hard Day’s Night” teve seu título sugerido por Ringo. Após um dia exaustivo de trabalho Ringo disse “It’s been a hard day…and I looked around and saw it was dark so I said, …night!” (“Foi um dia duro… e eu olhei ao redor e vi que estava escuro, então eu disse, …noite”). Os dizeres de Ringo inspiraram o título do filme e consequentemente da música. Embora creditada a Lennon/McCartney, foi John quem compôs a música e a cantou também. Paul o acompanhou no vocais em alguns trechos. (…) (Wikipédia)

Talvez agora se encaixe um pouco mais.

Outra coisa que ouvi falar sobre intercâmbio é que nos primeiros dias, ou semanas, não sei, você dorme muuuito! Porque o seu cérebro cansa muito por ouvir uma língua até então estranha, a qual você não está habituado. Você tem que pensar mais do que o normal, tem que fazer esforço pra entender o que estão dizendo… Ir dormir as 20 horas torna-se algo comum.

Hey Jude, don’t be afraid

Já ouvi algumas pessoas falando que chega uma hora em que você começa a sonhar na língua do país em que você está. Deus! Que coisa doida! Não consigo imaginar como seja isso, mal lembro dos meus sonhos em português, se eu começar a sonhar em italiano – e lembrar – vou ficar maluca…

Pode parecer estranho um título em inglês para um blog que a princípio vai contar aventuras na Itália.. Mas se eu contar que, desde maio do ano passado quando eu entrei pra seleção do intercâmbio e me tornei uma AFSer, depois fui aceita pra itália (êêe), depois recebi família, e até agora que eu estou contando os dias (69), tive Beatles como minha trilha sonora, parece sensato, não? E nada mais justo do que tomar essa música como título quando mesmo numa das cidades mais belas do mundo, estar tão longe será difícil. Serão noites em que eu vou vir escrever aqui ao final dos dias, ao final dos difíceis dias,  nos quais vou enfrentar problemas e me deparar sempre com novidades. Embora a princípio pareça complicado, no final a conclusão será de que tudo foi muito bom e valeu a pena! Bom ou ruim, pra mim sempre vale a pena!