Archive for the 'Alguém falou' Category

L’eleganza del Riccio

La seconda domanda, dunque: che cosa conosciamo del mondo? A questa domanda rispondono gli idealisti come Kant. Che cosa rispondono? Rispondono: non un granché. L’idealismo è quel convincimento secondo cui noi possiamo conoscere solo ciò che appare alla nostra coscienza, quell’entità semidivina che ci salva dalla condizione di bestie. (p1-pg.54, L’eleganza del Riccio)

Anúncios

minha vida acabou de começar

“odeio me sentir assim..”

“assim como?”

“assim, sei là, ficar sonhando desse jeito… eu nunca fui assim”

“ué Valentina, hahaha, ‘eu nunca fui assim’?. Sua vida acabou de começar.”

Aqui nao é frio o suficiente

But you can only live life in one place at a time. And your own life while it’s happening to you never has any atmosphere until it’s a memory. (A. Warhol)

Alegria de imigrante dura pouco. Eu achei que a primavera estava chegando, e que eu finalmente poderia viver feliz. Na primavera, com o sol, as flores… E’. Nao. O frio voltou,  e jà que é pra viver no frio, vamos para o frio de verdade! Amanha vou para Praga (-8°C), hoje enquanto fazia minha mala cacei as roupas  mais quentes possiveis que eu poderia encontrar no meu armario. Algo me diz que eu ainda vou passar frio. E’ uma viagem da escola, vamos ficar 5 dias… Dizem que é sempre muito legal, e que ajuda a unir a classe. ASSIM ESPERAMOS.

Palavras de um amigo

As coisas não fluem naturalmente. Os pensamentos não se adaptam ao papel. Eles são livres, rarefeitos e espontâneos. Quanto se perde na tradução de um pensamento em uma palavra? Talvez daí tenham surgido os gênios da escrita. Facilmente e de maneira hábil, um pensamento vira uma palavra, e uma palavra se faz mil pensamentos. Já tentou fazer as coisas de maneira automática, sem regras e sem restrições? Como explicaria Freud, o Superego tentando se impor a Idi. Porque não fazer da vida um rascunho, onde as atitudes são primeiro realizadas para depois serem analisadas suas conseqüências? Ah, os gênios da arte. Talvez tenham feito suas obras como um rascunho, e dessa privação de privações despontara o magnífico. E na tela em branco que é a vida, desenhamos e apagamos; analisamos, projetamos, calculamos e apagamos. E timidamente, vamos traçando marcas leves, que podem ser facilmente corrigidas, facilmente esquecidas. Por que não lançar cores fortes e formas abstratas duma só vez? Por que não acreditar que da mistura de erros pode-se obter o maior dos acertos? Por que preferir o concreto ao abstrato? O concreto é rígido, cinza, material, certo, intransponível. O abstrato simplesmente não é.

Qual o motivo de não recebermos o amor de braços e coração aberto? Crer no amor talvez seja tarefa pra poetas e revolucionários. Muito mais fácil aceitar o que já está, de fato, consumado, do que transformar o impossível no objetivo desejado. Porque escrever com introdução, desenvolvimento e conclusão? Porque explicar com lógica as coisas que naturalmente vieram ao mundo sem ela? De respostas vivem os ignorantes. Aprendem, decoram, e retransmitem. Perguntas inteligentes, por favor. Por favor.

Mas ao decorrer desse texto, minha inspiração poética fora-se esgotando, e procurei dizer palavras que causassem fortes efeitos emocionais. Então não era mais eu, não escrevia o que sentia, porque não mais sentia. Entre cada ponto final parei e pensei minutos, corrigi tempos verbais, colocações pronominais. Pensara no leitor, não mais no que me motivara a começar a desprender vocábulos no mundo. Tive um pensamento que se desenrolou por 27 linhas até então. E quanto dele foi perdido? Tudo. (Gabriel Roca)

Adoro receber e-mails dos meus amigos.

Dear Leonard,

To look life in the face,
Always,
To look life in the face,
And to know it for what it is…
At last,
To know it, to love it for what it is,
And then
To put it away.
Leonard,
Always the years between us
Always the years
Always the love.
Always
The hours

(The Hours – Stephen Daldry)

 

http://www.youtube.com/watch?v=QPeo4ZyK2X0

Etc. e tal

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

(Chico Buarque)

Learning

Aylin, Simin, Io, Diana

Aylin, Simin, Io, Diana

Nao gosto de frases e textos prontos, mas as vezes eles descrevem “tudo” o que os nossos milhoes de sentimentos tentam nos mostrar. O cliche é real. Tantas coisas passam pela minha cabeça agora, que eu nao saberia por onde começar.

 

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando, e você precisa perdoá-la por isso.
Descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dará o direito de ser cruel.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
Nossas dádivas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

(Shakspeare)

 

Aprendendo que certas coisas que passam despercebidas no dia-a-dia fazem muita falta. E que voce sente saudades de quem nem podia imaginar… Infelizmente nao sente tanta de outros… Descobre o valor de uma amizade… E que grandes amizades começam do nada. Até mesmo com alguém que fala uma lingua X.