Arquivo de dezembro \26\UTC 2009

(War is Over)

   

   Uhul! Natal! E’poca de muitas comemoraçoes, comida, presentes,  declaraçoes e perdoes, calor e papai noel. Mas nao. Nem parece que é natal, esta um frio terrìvel, e eu fui numa festa onde estavam presentes tipo vinte netos, e nenhum conversava comigo! No meu natal no Brasil tem aprossimadamente cinco netos, e todos conversam comigo. Nòs comemos, muito, cada um na hora que esta com fome, 0% de formalidade, e muita, muita risada! Mas de qualquer forma, foi muito legal, o valor que eles dao ao natal aqui na Italia è muito diferente, a preparaçao começa um mes antes, nòs temos uma arvore de dois metros, e sao tres dias de muita comida. Uma experiencia muito legal, e foi fofo, no meu presente tinha uma “dedicatoria”, dizendo que era do Natal de 2009, um natal es pecial na minha vida, junto com a familia Motta, jà que no pròximo eu nao estarei aqui…  Foram todos muito carinhosos, mesmo, mas nada como a minha familia. De qualquer forma, estive muiito feliz nesses tres dias de festa, entao està òtimo!  

eu e meu irmao, montando o presépio.. 8)

o presépio pronto, que obviamente nao fomos nòs que acabamos.

 

Famiglia! (atençao especial para o meu vestido.. eu que fiz! eu que fiz!)

 

(atençao especial pra essa saia também)

  Férias, férias… Sao boas sem chuva. Com a chuva passo o dia todo em casa – estou tentando escrever, mas meu priminho de 3 anos està aqui no meu quarto, ele grudou em mim e nao me solta mais, e fica falando “tamanho, tamaaanhoooouuu”, descobriu essa palavra em portugues e nao para de falar, depois coloco o video – , comendo, no computador, e pensando. Acabo pensando em muitas coisas, e tentando imaginar (nova) o que vai acontecer com outras…  Argh, odeio isso. Tenho que aprender a ser mais paciente, e deixar que as coisas simplesmente aconteçam.  

 9 de outubro de 2009.  

  Me senti de novo assim hoje, saindo do metro em direçao a Piazza di Spagna. Era uma escada rolante longuìssima, abafada, que parecia ir em direçao ao teto. Como uma subida de montanha russsa, que vai em direçao ao céu.  

Freddo

il est là où les arbres deviennent des nuages (é onde as àrvores se transformam nuvens)

Fa un freddo di merda e io sono raffredata per la terza volta! Tipo una volta al mese. Grazie mille! Argh, non sono abituata a questo freddo, e questa alergia mi fa venire il raffredore tutte le volte che io vado in un posto chiuso, sabato sono andata a un concerto di Fatboy Slim con il mio fratello e la sua ragazza, e domenica siamo andati a una cena, a casa di una ragazza e un ragazzo argentini, ognuno doveva portare un piato, era un gioco che si chiama Gran Magnano. Abbiamo messo i punti per ogni piato e al fine c’era un premio. Ho preso il secondo posto, ho fato una torta di coco con i bignè sopra, era molto buona, davvero! Hehehehe. Ho mangiato dolce di latte, e oggi ho comprato qua, non sapevo che c’erano posti dove si poteva trovare, ho comprato pure il Guarana, non mi va però ho comprato per mostrare a loro…  Ci sono pochi giorni per il natale e mamma mia, qui loro sono tutti “oh natale natale!”, hehe è una cosa molto molto carina, non sono abbituata a queste cose. In Brasile non’è così! Ma sono molto felice perché sarà un’esperienza molto diversa, e sopratutto il natale nell’inverno! Che figata! Oggi sono andata a comprare i regalli a mia famiglia,  c’era una pioggia terribile, Dio, peggio di questo tempo freddissimo è la pioggia insieme… Diventa una giornata brutta! Sono andata a casa di Sara con Alessia e dopo sono tornata e come ieri, ho dormito tutto il pomerigio… Finalmente, vacanze! La scuola rompe le palle, davvero! Due settimane senza vedere la Sido! Grazie Dio.

Hm, provando di scrivere in’italiano… Sicuro che ci sono tante cose sbagliatte, però vabbè! So if you’re lonely  you know I’m here waiting for you. I’m just a crosshair, I’m just a shot away from you, and if you leave here, you leave me broken, shattered I lie, I’m just a crosshair, I’m just a shot then we can die. I know I won’t be leaving here with you.

Cretinos 3°C

Cretinos que montam os horàrios! Onde jà se viu colocar aula de sàbado, e para piorar educaçao fìsica na primeira aula!  Cretina professora de educaçao fìsica, porque  nos fazer correr por vinte minutos, no frio de 3°C sò para nos dar uma nota por este quadrimestre. No frio! Porque nao podemos correr dentro de uma quadra num lugar fechado? Jà prevejo uma pneumonia…

Perto dos  18 minutos eu jà nao sentia mais dor nas pernas, e as listras verticais amarelas e pretas na grade que cercava aquela quadra jà estavam me fazendo delirar quando eu as olhava enquanto corria. Mesmo com a mùsica relativamente alta eu ainda podia escutar minha ofegante respiraçao. Pensei em desistir muitas vezes, mas decidi que sò ia parar quando eu estivesse caindo… Pelo menos aguentei os vinte minutos. Mas depois para subir os 98 degraus atè o terceiro andar (ai que saudades dos poucos degraus do Objetivo),  foi um càos.

Hoje foi a tìpica Giornata di Merda. Saindo da escola estava chovendo e muito, muito frio. Bom, pelo menos hoje de noite serà legal. Vou no show do Fatboy Slim  com o meu irmao. O natal jà està aì, e eu nem me dei conta, é estranho chegar o natal sem 20 dias de fèrias antes! E sem estar no veraaaao..

Agora que eu estou ficando boa no italiano (hahaha), vejo filmes… Esses dias vi O Fabuloso Mundo de Amelie. Ainda nao tinha visto, e queria muito ver, é tao legal… Acho que vou ver  de novo!

Coisas que nao acontecerao no Brasil

 Ser intercambista é: nascer de novo, é começar tudo do zero, é sentir saudades, é aprender a valorizar o que tem, é ter medo, é saber cuidar de si mesmo (ou nao), é passar fome, é comer em excesso, é pisar no inimaginavel, é conhecer o desconhecido, é inventar sobre voce e seu país, é fazer qualquer encontro com intercambistas se tornar a melhor festa, é estar sempre sem dinheiro, é gastar muito com coisas inúteis, é passar frio, é passar calor, é ser motivo de piada, é fazer piada, é sair zerado e voltar muito bebado, é sair rídiculo de casa (sou estrangeiro mesmo), é fingir que ainda nao entende nada na escola, é fingir que entende tudo pra seus “novos amigos”, é ter histórias absurdas, é achar que só voce é normal, é achar que o mundo é seu, é querer conhecer o mundo com uma mochila, é sentir falta das coisas mais idiotas, é descobrir que gente é gente em qualquer lugar do mundo, é querer voltar pra casa, é nunca mais querer voltar pra casa, é ser intercambista, porque só quem é sabe realmente o que quer dizer SER INTERCAMBISTA!

Quando eu comecei a ler achei que fosse mais um daqueles textinhos que todo mundo coloca no perfil do orkut, mas ao passar das linhas as semelhanças começaram a se tornar grandes demais… Na escola de manha eu quase choro de fome, mas quando chego em casa compenso tudo o que eu nao comi, aqui eles nunca comem salada, no Brasil tinha todos os dias em casa, e eu comia duas vezes por semana, aqui eu comprei outro dia um pacote de salada pronta no supermercado e comi dois pratos enormes, que saudades de comer salada. Aqui eu sempre falo pras pessoas do Brasil como se eu fosse uma entendida no assunto. Que? Eu sou péssima nisso, mas falo mesmo assim. Tivemos um acampamento pros intercambistas da regiao do Lazio e uma outra aqui perto que eu nao lembro o nome, foram os melhores dias ate agora, cada dia que os intercambistas se encontram é muita diversao, mesmo nas circunstancias mais estupidas. Eu coloco tres  blusas pra sair de cada, mais um casaco pesado, cachecol, luvas e bota e mesmo assim tremo enquanto espero o onibus, entro naquela sauna de onibus todo fechado e nao consigo me mover pra tirar uma das camadas de lã que tem sobre mim. Eu faço piadinha com todo mundo aqui, tiro sarro, faço xingamentos em italiano e todo mundo acha graça, fala que eu sò aprendi palavrao, ninguem liga, mas em compensaçao tiram sarrinho quando eu escorrego no sotaque e falam que meu anel é tao pequeno que quase nao se nota… Ontem tinham duas amigas aqui em casa e nòs saimos pra ir no supermercado mas estava um puta frio e eu coloquei uma bota  (uma daquelas ridiculas com pelo dentro, mas irresistivel no inverno) por cima da calça de moleton e sai. Elas ficaram rindo de mim, falando que eu parecia uma polonesa, uma russa… Que sò faltava aquele chapeuzinho com pelo em volta. Conheço alguem aqui? Jà cansei de explicar que no Brasil eu nao faço esse tipo de coisa, mas elas nao me entendem… Sem contar que todos os dias alguem me fala “E’ Raaampin, se faz de desentendida, que nao fala italiano, sò pra ser interrogada.. Professora, pode dar prova pra ela porque ela sò faz de conta que nao entende nada” , “E’ Raampin,  fica dizendo aì “Io ho provato di fare professoressa, però è molto dificile, non ho capito (Eu tentei fazer professora, mas é muito dificil, nao entendi)”, voce nao me engaaaana!”. Sò eu sou normal mesmo, ontem minha mae me perguntou se eu queria katchup ou mostarda no hot-dog. Ué, eu quero os dois. OS DOIS? Credo Vale,  voce fica misturando um monte de coisa, e ainda por cima poe maionese junto. Quando eu falei das batata palha  eles quase morreram… Outro dia cantei “Essa é a historia da serpente …” no meio de uma praça pra outras duas intercambistas. Que coisa mais imbecil! Nunca cantei isso no Brasil! Queria dar um pulinho no Brasil sò pra ir pra praia e voltar, e eu nem gosto de praia. Mas nao quero mais ir embora daqui… E’ tao legal… A comida é tao boa, tem tantos tipos de cookies, falando em cookies fiz torta de limao hoje pra nossa vizinha que fez aniversario, minha mae que pediu, e um bolo de chocolate pra levar pros meus amigos da escola, tambem fiz brigadeiro mas deu errado, porque nao tinha chocolate em pò entao puis uma barra de chocolate, mas endureceu tudo, ficou horrivel, e mesmo assim minha familia amou e comeu. Outro dia fui fazer cookis, a massa pronta, eu usando forminhas de porquinho, sino, coraçao, resolvi experimentar, era a primeira vez que eu fazia, tava ruim pra caramba, dava ansia de tao salgado, ai joguei a culpa na manteiga, falei que eu achava que tinha que ser margarina sem sal. Ai meu pai me pergunta, mas voce tem certeza que nao colocou sal ao invez de açucar? Falei que nao mil vezes,  até a hora que ele perguntou: tem certeza? Voce pegou o açucar nesse pote mesmo? Ihhh…